Arquivo do Autor

ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA

19 novembro, 2008

 

    Os alunos realizaram um trabalho sobre a obra de José Saramago “Ensaio sobre a cegueira”. Este poderia ser analisado através do livro ou do filme dirigido pelo cineasta Fernando Meirelles.

    O importante era compreender as metáforas e expressar o próprio conhecimento através de um desenho e de uma frase que “traduzisse” a obra.

    A exposição realizada em sala de aula foi muito enriquecedora, pois os alunos apresentavam o seu cartaz, a sua interpretação e, ao explicar a sua decisão pelo desenho ou frase,expuseram muito além do que eles mesmos imaginavam, tornando a apresentação rica e emocionante.

    Tomar contato com uma obra de Saramago é indispensável para ampliar qualquer repertório.

    As frases a seguir não fazem parte, na sua maioria, daquilo que estava no cartaz, mas sim, da exposição oral.

    Vamos conferir?

(more…)

Anúncios

II Mostra Cultural

14 novembro, 2008

 

    No dia 25 de outubro, o Colégio Spinosa realizou sua II Mostra-cultural com o objetivo de expor e apresentar vários trabalhos e atividades produzidos pelos alunos, incentivando-os a assumir a arte como uma forma de identificação, de formação e ação do sujeito e do cidadão.

    Foi muito importante a participação dos alunos na exposição dos trabalhos e no incentivo à leitura, nas belíssimas apresentações de música e dança no palco¸ no concurso de curta-metragem, abordando o tema “Valores” e também, na estréia oficial do nosso Blog.

    Nossos parabéns a todos que participaram e abrilhantaram o evento.

Professora Beth.

Hora da leitura

14 novembro, 2008

 

   O incentivo à leitura deve ser uma prática constante. Se, por um lado, o trabalho com leitura ajuda a formar leitores competentes, por outro, auxilia a produção de textos . Foi pensando nisso que no dia 27 de outubro, recebemos a visita do autor de livros, Sylvio Panza, que conversou com os alunos do Infantil III, 1º, 2º, 3º, 4º e 5º anos sobre o valor da leitura.

    É necessário desde cedo despertar o prazer de ler , a curiosidade e estimular a observação e a reflexão .

“Os pais são os primeiros e os mais importantes professores das crianças. Por isso, aqui estão nove maneiras de você ajudar seu filho a se tornar um bom leitor. ”

(more…)

2º Concurso de Curta-metragem do Spinosa

14 novembro, 2008

Realmente nos surpreendeu o disputadíssimo concurso de curta-metragem em que muitos alunos apresentaram situações que envolviam a questão sobre valores, na II Mostra-Cultural do colégio, no dia 25 de outubro.

Aos vencedores das 3 categorias nossos parabéns e também a todos os que participaram pelo empenho e dedicação.

Professora Beth.

  Melhor Curta-metragem:

 

Melhor direção: 

 

Melhor roteiro:

Valores.

23 outubro, 2008

 

    Todos temos consciência da crise social que atravessamos e da urgente necessidade de direcionar a ação do homem, seguindo uma escala de valores, para que ele possa agir com ética, que saiba conduzir suas próprias idéias, com capacidade crítica para escolher e discordar com fundamento.

   Com o projeto desenvolvido no Colégio Spinosa, em Língua Portuguesa, procuramos, através da leitura, promover em nossos alunos dos 9ºs anos a necessidade de refletir sobre seus hábitos e atitudes, para que possam escolher a melhor maneira de se viver plenamente.

    Como encerramento do projeto nossos alunos produziram textos em que puderam demonstrar formas de se respeitar a vida, ser generoso, ouvir para compreender, redescobrir a solidariedade, rejeitar a violência e preservar o planeta. Tais valores independem de idade, cultura, raça ou religião e são a base da sustentabilidade da nossa espécie.

Professora Beth.

O VALOR DA SENSIBILIDADE

23 outubro, 2008

   Estava eu fazendo em pleno domingo um almoço para minha mulher, porque sem ter como explicar ela tinha se machucado e estava impossibilitada de fazer algo.Perto das duas horas eu a chamo:

– O almoço já esta pronto.

– Estou indo

Logo chega minha mulher com cara brava.

– O que aconteceu?

– Não quero falar.

   Estávamos quase acabando o almoço e nada de conversa. Estava esperando ela dizer algo sobre meu almoço ou sobre outra coisa. Tentando puxar assunto eu pergunto:

– Como estava a comida? Você não quis repetir.

– Está péssima, você serve para outras coisa, mas para cozinhar não.

– Você não tem sensibilidade, não? Não consegue fazer nenhum elogio?

  Bravo, saio da sala de jantar e vou direto para a sala de televisão. Logo ela chega quieta, pois era muito estressada. Vou para o quarto e fico lá todo o dia. Amanhece,vou para o trabalho …Quando chego, encontro uma carta na minha mesa assinada com o nome de minha mulher.

Pedro,

   Estou muito triste pelo que aconteceu ontem. Acho que estou muito estressada e sem noção. Estou vendo o esforço que faz por mim. Peço desculpas.

   Cá entre nós, você é um péssimo cozinheiro, mas eu te amo muito.

P.S : Lucia, Eu te amo.

clip_image001

Felippe

Nikolas

Português do Brasil e de Portugal.

20 junho, 2008

8025_im_grande

É até engraçado como algumas palavras da Língua Portuguesa podem ter um sentido tão diferente quando ditas aqui em terras Tupiniquins ou em terras Lusitanas.

Vejamos alguns exemplos clássicos :

Garoto:
No Brasil, menino.

Em Portugal, é o nome popular do café com leite que se toma nos cafés ou restaurantes, sendo comum a distinção entre o “garoto claro” (mais leite do que café) e o ” garoto escuro” (vice-versa):

Disse Manuel:

” – Traz-nos dois garotos claros e alguns biscoitos.”

Apelido:
No Brasil, é alcunha, nome informal que se dá a uma pessoa.

Em Portugal, é o sobrenome, nome de família

Jornaleiro:
No Brasil, vendedor de jornais.

Em Portugal, é o que chamamos de diarista, trabalhador que recebe por jornada de trabalho.

Cuecas:

No Brasil, roupa íntima masculina.
Em Portugal, designa, além de roupas de baixo do homem, a peça feminina equivalente, muitas vezes indicada no diminutivo para distinguí-la da masculina:

“A janela estava aberta, e vi-a a caminhar no quarto apenas em cuequinhas!”

A importância de uma vírgula.

4 junho, 2008

Vale a pena conferir !

7 fevereiro, 2008

                        museu-lingua.jpg

O Museu da Língua Portuguesa ou Estação Luz da Nossa Língua é um museu interativo sobre a língua portuguesa localizado na cidade de São Paulo no histórico edifício Estação da Luz, no Bairro da Luz, concebido pela Secretaria da Cultura paulista em conjunto com a Fundação Roberto Marinho, tendo um orçamento de cerca de 37 milhões de reais (14,5 milhões de euros).

                        museu13.jpg

O objetivo do museu é criar um espaço vivo sobre a língua portuguesa, considerada como base da cultura do Brasil, onde seja possível causar surpresa nos visitantes com os aspectos inusitados e, muitas vezes, desconhecidos de sua língua materna. Segundo os organizadores do museu, “deseja-se que, no museu, esse público tenha acesso a novos conhecimentos e reflexões, de maneira intensa e prazerosa”. O museu tem como alvo principal a média da população brasileira, composta de pessoas provenientes das mais variadas regiões e faixas sociais do país, mas que ainda não tiveram a oportunidade de obter uma idéia mais precisa e clara sobre as origens, a história e a evolução contínua da língua.

                      museu21.jpg

Apesar da palavra museu trazer a idéia de algo rústico e antigo, o museu possui um acervo inovador e predominantemente virtual, combinando arte, tecnologia e interatividade, lembrando que o museu está localizado em um prédio histórico. Composto das mais diversificadas exposições nas quais são utilizados objetos, vídeos, sons e imagens projetadas em grandes telas sobre a língua portuguesa, considerada do ponto de vista de patrimônio cultural dos povos lusófonos.

Horário de funcionamento:

Das 10 às 18 horas de terça-feira a domingo. A entrada equivale a R$ 4,00, tendo desconto de 50% para estudantes e entrada gratuita para menores de dez anos e professores do ensino público.

Fonte: Wikipedia.

Expressões

7 fevereiro, 2008

BATER AS BOTAS.

SIGNIFICADO: 

Morrer.

HISTÓRICO:

Em meados do século passado, durante a Guerra do Paraguai, quando os latifundiários viam seus filhos serem convocados, enviavam, no lugar, dezenas de escravos negros. E eles tinham que usar botas, sem antes nunca ter usado nem mesmo uma mísera sandalinha. Quando fugiam dos inimigos pelo mato, batiam as botas uma contra a outra e caíam fácil nas mãos dos paraguaios. E morriam. “Batiam as botas” e morriam.

boots.jpg

JURAR DE PÉS JUNTOS

SIGNIFICADO:

Prometer dizer a verdade

HISTÓRICO:

Vem da Inglaterra. Lá, até o final do século passado, os criminosos iam para julgamento diante dos juízes com as mãos e os pés algemados. E prometiam, é claro, dizer a verdade, nada além da verdade, “jurar de pés juntos”. Surgiu a expressão. Só a partir do começo do século XX os criminosos começaram a se apresentar soltos e escoltados por soldados a pedido da Rainha Elizabeth II.

 Fonte: Mário Prata